Projeto

Projeto

 

O Projeto

A Amazônia é fundamental para o equilíbrio climático do planeta. É vital protegê-la das ameaças e impedir sua destruição. E a estratégia para garantir o futuro da floresta foi a criação das áreas protegidas - as unidades de conservação e as terras indígenas. Essas áreas, entretanto, precisam ser geridas de forma eficiente para que cumpram sua missão.

Nesse contexto, nasceu o LIRA - Legado Integrado da Região Amazônica. Trata-se de um projeto concebido para aumentar a efetividade de gestão dessas áreas até 2023. Gerir de forma eficiente significa cumprir os objetivos de criação das áreas, manter a conservação da biodiversidade, das culturas e das comunidades locais e tradicionais além de contribuir com serviços ecossistêmicos e para minimizar os efeitos das mudanças climáticas. O território do projeto é de aproximadamente 80 milhões de hectares que abrangem 86 áreas protegidas agrupadas em seis blocos: Alto Rio Negro, Baixo Rio Negro, Norte do Pará, Xingu, Madeira-Purus e Rondônia-Acre.

O LIRA é uma iniciativa idealizada pelo IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas, Fundo Amazônia e Fundação Gordon e Betty Moore, parceiros financiadores do projeto. Os parceiros institucionais são o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Amazonas - SEMA-AM e o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará – IDEFLOR-Bio.

Com recursos acima de R$ 60 milhões, o projeto abrange 34% do território das áreas protegidas da Amazônia, considerando 20 UCs Federais, 23 UCs Estaduais e 43 Terras Indígenas, nas regiões dos seis blocos.

 

Implementação

A estratégia de implementação do LIRA atua em duas frentes: uma, como articulador e gestor técnico-financeiro da rede de parceiros, em outra, como executor direto de ações no território. As linhas de atuação incluem planos de gestão territorial e ambiental (PGTA) ou de manejo; mecanismos de governança; uso sustentado dos recursos naturais; sistemas de monitoramento e proteção; integração com desenvolvimento regional e fortalecimento das políticas públicas.

 
Fluxo LIRA.PNG

 

Na primeira frente, por meio da chamada pública, o IPÊ selecionou oito projetos que correspondem 54% do território do LIRA com atuação nos seis blocos. Até agora foram envolvidas 82 instituições, em 54 municípios com o impacto direto de 35 mil pessoas beneficiadas (populações extrativistas e indígenas).

Em sua segunda frente, o IPÊ apoiará diretamente instituições locais, comunitárias e indígenas para implementar ações complementares que promovam a participação social na gestão do território e a bioeconomia. Além de promover ações de gestão integrada entre organizações,  vinculadas às seguintes ações:

 

  1. Capacitação de gestores públicos e lideranças comunitárias, organizar fóruns de discussão para fortalecer as políticas públicas vinculadas à gestão de áreas protegida, além de eventos e intercâmbios entre os parceiros dos projetos apoiados.
  1. Elaboração de planos de promoção socioeconômica que têm a intenção de fortalecer as cadeias de valor da sociobiodiversidade de forma regional e integrada, com o objetivo de identificar as principais oportunidades e gargalos para inserção econômica das populações locais na economia regional.
  1. Adaptação de tecnologias para o uso em ações de monitoramento de biodiversidade e proteção das áreas protegidas, para potencializar iniciativas que já existem e que podem ser ampliadas.
  1. Avaliação e monitoramento da efetividade da gestão e dos indicadores de impacto.
  1. Comunicação como ferramenta de apoio para a expressão, visibilidade e integração das ações entre todos atores envolvidos do projeto. Serão realizados eventos que promovam o fluxo e fluidez das informações, potencializando o alcance de diversas vozes que constituem a Amazônia sobre a causa e a importância das áreas protegidas.

 

Nos dedicamos à conservação da biodiversidade no país por meio de ciência, educação, negócios sustentáveis com comunidades e atuação em rede por mais de 28 anos e acreditamos que o valor da Amazônia está na incrível teia de relações biológicas e sociais que mantem a saúde do bioma.

Por isso construímos uma rede diversa de parceiros para a consolidação de todas as frentes do Projeto LIRA.  Essa rede é composta por oito instituições, incluindo o ISA, Kanindé, Amorema, SOS Amazônia, FVA, IDESAM, IEB e Kabu. Cada instituição amplia a rede com as suas aglutinadas e parceiros locais, formando uma teia, com 84 instituições. Esta rede diversa tem o intuito de fortalecer as organizações da sociedade civil, associações comunitárias e indígenas do território, potencializando os resultados e a troca de experiências entre todos os parceiros.

Desejamos que essa parceria nos leve além das fronteiras, buscando nas diferentes realidades a essência e os desafios que temos em comum, para a concretização do projeto e a potencialização dessa teia de relações. Para nós, as áreas protegidas são a base para o presente e garantem o futuro da Amazônia, promovendo os ativos naturais do Brasil e a sabedoria ancestral dos povos da floresta.

 

 

 

Ficha Técnica

Produção, montagem e mixagem: Mandra filmes
Roteiro: Maria Zulmira de Sousa, Cibele Tarraço Castro, Fabiana Prado e Neluce Soares
Imagens: Marcos Amend, iStock e Imagine Filmes
Locução: Suzana Padua
Tradução: Parlare Soluções
Supervisão: Cibele Tarraço Castro e Maria Zulmira de Sousa

Fabiana Prado

Gerente e Articulação Institucional

pradoff@ipe.org.br

 

Neluce Soares

Coordenadora Executiva

neluce.soares@ipe.org.br

 

Nailza Pereira Porto

Assessora Técnica

nailza@ipe.org.br

 

Angela Pellin

Assessora de Avaliação e Monitoramento

angela@ipe.org.br

 

Cibele Tarraço Castro

Assessora de Relacionamento e Comunicação

cibele@ipe.org.br

 

Hercules Quelu

Assessor Administrativo

hercules@ipe.org.br

 

 Luis Gustavo Quelu

Coordenador Financeiro

gustavo@ipe.org.br

 

Viviam A. C. Moraes

Analista Contábil-Financeiro

                                              

Tatiane X. Siqueira

Assistente Administrativo-Financeiro

 

Silvia F. Kawabe

Assistente Administrativo-Financeiro

 

Parceiros Institucionais:

Fundação Nacional do Índio - FUNAI

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidades - ICMBio 

Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Amazonas - SEMA-AM

Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará – IDEFLOR-Bio

 

 

Parceiros Financiadores:

Fundo Amazônia

Fundação Gordon e Betty Moore

 

A estrutura de implementação do LIRA se dará dentro dos seguintes componentes:

1 - Chamada pública de projetos;

2 - Ações estratégicas de consolidação da gestão integrada;

3 - Integração e difusão de conhecimento;

4 - Elaboração de planos de promoção socioeconômico;

5 - Adaptação de tecnologias disponíveis para otimização dos custos de proteção territorial, monitoramento de biodiversidade e das ameaças;

6 - Avaliação da efetividade de gestão.

Valor do Projeto: R$ 61.350.000,00 (Fundo Amazônia R$ 45.000.000,00 e Fundação Gordon e Betty Moore R$ 16.350.000,00).

 

Documentos

Contrato do Projeto LIRA com o BNDES

Estatuto do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas

Apresentação LIRA - Estrutura Geral

 

 

 

 

voltar