Últimas Notícias

  • 08/06/22
  • 15h14

Fundo LIRA

Povos Hexkaryanas participam de capacitação visando a manutenção da “floresta em pé”. As oficinas em comunicação popular e geotecnologias fazem parte de uma série de capacitações financiadas pelo Fundo Lira. Possibilitar o conhecimento técnico visando assegurar a sustentabilidade socioambiental para preservação e conservação das riquezas naturais, este é o objetivo do projeto “Fortalecendo a Governança para Manutenção da Floresta em Pé”, desenvolvido pela Cooperativa Mista dos Povos e Comunidades Tradicionais da Calha Norte (Coopaflora) que teve início na última quinta-feira (26) com capacitações em comunicação popular, com técnicas de fotografia, roteiro e produção de vídeos usando o dispositivo móvel e geotecnologia (cartografia básica e GPS) para os povos indígenas Hexkaryana. Nesta primeira etapa 70 indígenas da Aldeia Kassawá, na Terra Indígena (TI) Nhamundá Mapuera participaram das capacitações. “Essa oficina que a Coopaflora juntamente com o Fundo Lira estão fazendo para nós é muito interessante porque nós somos potenciais produtores de castanha, eu vou completar 39 anos e meus pais, meus avós já trabalhavam com esses produtos, então a realização da oficina ajuda tanto na divulgação dos produtos aqui no nosso país e também lá fora como no mapeamento dos nossos castanhais que ficam muito distantes, tem muitas dificuldades e isso beneficia a nossa comunidade”, frisou o cacique geral dos Povos Hexkaryana, Zaqueu Feya.


  • 03/06/22
  • 16h16

Dia Nacional da Educação Ambiental: Jovens querem ocupar espaço e atuar politicamente na região amazônica. Estimular a formulação de políticas públicas efetivas que tragam impactos positivos frente às causas e direitos defendidos por indivíduos, organizações ou grupos, é uma prática do sistema democrático chamada de incidência política ou, no termo em inglês, advocacy. Para que seja exercida de maneira plena, é preciso ter uma base de conhecimento e informações, inclusive sobre a legislação, relacionados ao tema. O LIRA (Legado Integrado da Região Amazônica), projeto do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas, elaborou um curso de formação para jovens lideranças da região amazônica. Intitulado Formação de Jovens Lideranças Transformando Territórios Amazônicos, o curso começa dia 3 de junho e vai até dezembro de 2022. Serão oito módulos (presencial e virtual) com carga horária de 180 horas . Segundo Fabiana Prado, coordenadora do LIRA/IPÊ, fortalecer a compreensão política dos jovens sobre a importância das áreas protegidas, biodiversidade e floresta é uma questão central para o desenvolvimento sustentável e a conservação da floresta. “O curso foi construído para atender à necessidade de qualificar a atuação do jovem para o advocacy na agenda socioambiental. Já vínhamos apoiando redes de juventude da região com os projetos das Soluções Integradas do IPÊ e com o LIRA entendemos que poderíamos começar a desenhar esse processo de formação política”, diz.


  • 30/05/22
  • 19h06

1º Congresso Brasileiro de Trilhas traz voluntariado, ações apoiadas pelo LIRA e Soluções Integradas do IPÊ para a Amazônia. De 25 a 29 de junho, voluntários, praticantes de esportes em áreas naturais, gestores e lideranças de áreas protegidas participaram do 1º Congresso Brasileiro de Trilhas, em Goiânia/GO. No segundo dia de evento, Nailza Porto, pesquisadora do IPÊ no Amazonas, moderou a mesa-redonda Conexão Amazônica – organizada pelo Instituto. “Reunimos nessa mesa experiências de trilhas de longo curso implementadas nos estados do Acre, Amazonas e Pará, incluindo duas que integram o território dos projetos apoiados pelo LIRA – Legado Integrado da Região Amazônica, do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas. A partir dessas experiências a mesa propôs reflexões com uma visão de longo prazo, uma vez que a rede de trilhas tem o potencial de alinhar uso público, por meio de recreação de qualidade, com conservação e geração de renda dentro das áreas protegidas e no entorno”. No sábado 28/05, Angela Pellin, coordenadora do MOSUC - Motivação e Sucesso na Gestão das Unidades de Conservação e da iniciativa Voluntariado para a Conservação, do IPÊ, moderou a mesa Voluntariado como estratégia para a conservação e aproximação da sociedade, a partir de 1:30h com as experiências da Trilha Transcarioca, Trilha do Espinhaço, Caminhos do Planalto Central e Caminho da Mata Atlântica. “As experiências trouxeram a perspectiva dos voluntários, gestores e parceiros sobre a importância do voluntariado na implementação das Trilhas de Longo Curso no Brasil. Essa grande rede conta com quase 130 trilhas em todo o país e mais de 5.000 km já implementados em todas as regiões. A iniciativa tem muitos parceiros, mas o coração e motor da iniciativa é o voluntário. Isso só reforça a nossa crença da importância dessas pessoas para a conservação", destaca Angela Pellin, que está à frente de dois eventos do IPÊ com uma rede de apoiadores, o Fórum Brasileiro de Voluntariado para Conservação e o Encontro de Boas Práticas em Unidades de Conservação, com a primeira edição realizada em 2021 e com a segunda já prevista para o segundo semestre de 2022.


voltar