Últimas Notícias

  • 06/12/22
  • 23h35

Sistema analisa e monitora efetividade de gestão em Unidades de Conservação. Sistema de Análise e Monitoramento de Gestão (SAMGe) favorece tomada de decisão para políticas públicas nas Unidades de Conservação integrantes do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC). Ferramenta de aplicação rápida e resultados imediatos, o Sistema de Análise e Monitoramento de Gestão (SAMGe) foi desenvolvido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio/MMA), com apoio do Ministério do Meio Ambiente, para analisar e monitorar a gestão das Unidades de Conservação compreendidas pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC). Entre as 645 Unidades de Conservação que utilizaram o sistema em 2021, 86,36% foram consideradas moderadamente efetivas, efetivas ou com alta efetividade no cumprimento dos seus objetivos de criação. Ao sistematizar e monitorar as informações em uma base comum e gerar relatórios gerais ou específicos, o SAMGe contribui com a tomada de decisão, para elaboração ou revisão de planos de manejo, permitindo a melhoria de processos dentro dos órgãos gestores das Unidades de Conservação, tanto no ICMBio, no nível federal, quanto nos 39 órgãos estaduais e nos 480 municipais, que são responsáveis pela implementação das atuais 2.659 Unidades de Conservação que compõe o SNUC.Para aferir a efetividade da gestão das Unidades de Conservação, o SAMGe interrelaciona dados de três elementos que compõem os objetivos de gestão das unidades: recursos e valores (RV), os usos (interfaces entre os RV e a sociedade) e as ações de manejo realizadas pelo órgão gestor. A aplicação da metodologia acontece em ciclos anuais, sendo preenchida pelos gestores das unidades que com o cruzamento dos dados enviados podem analisar pontos fortes da gestão e aqueles que precisam de ações mais consistentes para obtenção de melhores resultados. O índice de efetividade gerado pelo SAMGe é composto por seis elementos: resultados, produtos e serviços, contexto, insumos, planejamento e processos. Eles são avaliados tanto pelo impacto territorial decorrente da política pública, quanto pela análise dos instrumentos de gestão. Os resultados obtidos ficam à disposição dos interessados por meio do Painel de Resultados Consolidados, aproximando a sociedade da gestão das áreas protegidas e garante transparência das políticas públicas relacionadas à conservação da biodiversidade.


voltar